Skip navigation

“Depois se lembrou de que estava brigado comigo e não podia ter nenhum prazer em me comunicar suas descobertas”. (p. 30)

“As tarefas que se baseiam numa tenacidade interior devem permanecer mudas e obscuras; por pouco que alguém as anuncie ou delas se vangloria, tudo parece supérfluo, sem sentido ou até mesquinho. Assim, tão logo meu irmão pronunciou aquelas palavras, arrependeu-se de tê-las dito, e não lhe importava mais nada, e teve até vontade de descer e acabar com aquilo”. (p. 50)

“[…] momento desesperado de quem venceu a primeira vez e agora sabe que desgraça é vencer, e sabe que doravante será obrigado a continuar no caminho que escolheu e não lhe será dada a salvação de quem falha”. (p. 60)

“Em resumo, soube tornar o amor por este elemento arbóreo, como acontece com todos os amores verdadeiros, também sem piedade e doloroso, que fere e corta para fazer crescer e dar forma”. (p. 120)

“Viola estendeu-se na pele de javali.
– Trouxe outras mulheres aqui?
Ele hesitou. E Viola:
– Se não trouxe outras mulheres você é um banana.
– Sim… Algumas…
Levou uma bofetada no rosto com a mão cheia.
– Era assim que me esperava?” (p. 184)

“Ele a conheceu e a si própio, pois na verdade jamais soubera quem fosse. E ela o conheceu e a si própria, pois, mesmo já se conhecendo, nunca pudera se reconhecer assim”. (p. 185)

“- Por que me faz sofrer?
– Porque o amo.
Agora era ele quem se enfurecia.
– Não, não me ama! Quem ama quer a felicidade, não a dor.
– Quem ama só quer o amor, mesmo à custa da dor.
– Então me faz sofrer de propósito.
– Sim, para ver se me ama.” (p. 191)

“[…] em suma aproximavam-se tempos talvez mais tolerantes, todavia mais hipócritas”. (p. 194)

“- Você não acredita que o amor seja dedicação absoluta, renúncia de si mesmo…
[. . .]
– Não pode haver amor se não somos nós mesmos com as nossas próprias forças.
[. . .]
– Pois então, seja você mesmo sozinho.
‘Mas então ser eu mesmo não faz sentido…’ […]” (p. 206)

O barão nas árvores / Italo Calvino ; tradução de Nilson Moulin. — São Paulo : Companhia das letras, 1991. — 254 p.

One Trackback/Pingback

  1. By New Year’s resolution… ? « Moo. on 07 Jan 2008 at 10:40 pm

    […] O barão nas árvores / Italo Calvino ; tradução de Nilson Moulin. — São Paulo : Companhia das letras, 1991. — p. 50 […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: